O que impediu o coletor menstrual de ser conhecido antes? (com fotos!)

blog_historia-coletor_KORUI

A primeira coisa que pensamos quando conhecemos e experimentamos todas as vantagens dos coletores menstruais hoje é “Nossa, finalmente inventaram algo assim!”. Pois é, mas a verdade é que o coletor menstrual não foi inventado recentemente não! Os primeiros protótipos datam do ano de 1860 e em 1937 o design já se parecia bastante com que conhecemos hoje! Vamos dar uma espiada nestas transições?

As primeiros protótipos eram conhecidos como “sacos catameniais”, eles foram desenvolvidos nos Estados Unidos e patenteados entre os anos de 1860 e 1870. Estes primeiros designs foram criativos, mas a maioria nunca chegou a ser comercializado. E pelas fotos nós entendemos o motivo! A figura abaixo mostra que se tratava realmente de um saco, que era inserido na vagina e ainda assim preso em uma espécie de cinto! Uau! Alguém consegue imaginar como seria usar isso?

1867Patent1867draw

Muitos outros dispositivos internos foram desenvolvidos no decorrer das décadas seguintes, desde tubos feitos de metal (metal?) até dispositivos internos que se conectavam a bolsas externas, como o exemplo da figura abaixo. Qual será o volume menstrual estimado naquela época para que fosse necessário o desenvolvimento de um dispositivo deste tamanho!? Uau! Não é a toa que estes designs nunca foram comercializados.

US599955-0

Assim os anos se passaram e o primeiro coletor menstrual moderno, mais parecido com o que conhecemos hoje, foi inventado em 1935 pela americana Leona Chalmers. Ele era feito de borracha de látex e a propaganda afirmava que ele “não causaria nenhum tipo de desconforto e que as mulheres não notariam a sua presença”. Ele também permitia que as mulheres usassem roupas “finas, leves e justas” sem cintos ou alfinetes à mostra. As imagens realmente mostram um coletor menstrual muito similar ao que conhecemos hoje.

Chlmpat1Chlmpat2

Infelizmente a falta de borracha de látex durante a segunda guerra mundial fez com que a produção tivesse que parar. Mas Leona Chalmers não desistiu. Depois do final da guerra, em 1950, ela aperfeiçoou o design e fez um novo lançamento. Desta vez o investimento em marketing foi alto, ela enviou milhares de amostras para enfermeiras que recomendaram o uso.

TasTimSq

Mas o esforço de Leona esbarrava nos tabus menstruais da época. Ela não podia usar as palavras “vagina” e “menstruação” nos anúncios, por exemplo, então era difícil de explicar o que era aquele copo! Além disso, a ideia de usar uma proteção interna era um escândalo! A empresa de Leona gastou uma verdadeira fortuna em marketing, mas registou poucas vendas e desapareceu em 1963.

Os coletores menstruais voltaram em 1980 com a criação do “The Keeper”, feito de borracha de látex e ainda vendido hoje. E no início do século 21 o silicone medicinal foi introduzido no design dos coletores menstruais com grande sucesso, já que este material proporcionava um uso livre de alergias. No Brasil os coletores menstruais só começaram a se tornar populares em 2015.

Em 2013 começou a história da Korui e em 2016 o coletor Korui foi lançado, feito em silicone medicinal e com design único. Diferente de outros modelos, o coletor Korui tem silicone aveludado, haste flexível para um uso com maior conforto, ranhuras na base e na haste para facilitar a retirada e um formato mais curto para se adaptar a todos as posições do colo do útero.

post-fb_cuide-se_KORUI

Hoje o coletor menstrual está sendo muito bem aceito. Mas é difícil pensar que foi o tabu menstrual que privou as mulheres da liberdade que ele proporciona durante tantos anos! E será que o tabu acabou? Sabia que o facebook ainda proíbe a palavra “vagina” nos anúncios do coletor menstrual?

Diga NÃO ao tabu da menstruação e SIM à liberdade do coletor menstrual!

O que você achou da história dos coletores menstruais? O que podemos aprender com ela? Deixe um comentário e divida sua opinião com a gente! 🙂

DEIXE UM COMENTÁRIO