Menstruação irregular: Conheça 6 das principais causas

capa06-09

A menstruação é algo totalmente natural e parte da vida de todas as mulheres. Mas apesar de normal, para muitas este não é um período divertido do mês. A menstruação afeta o corpo de muitas maneiras e, ao mesmo tempo, é afetada por inúmeras forças externas. Algumas mulheres tem ciclos menstruais regulares que acontecem no mesmo intervalo todo mês, com a mesma duração, intensidade e sintomas. Mas para muitas a menstruação pode ser imprevisível e cheia de surpresas, uma verdadeira loteria todo mês, os ciclos podem acontecer em intervalos diferentes, o fluxo pode ser muito intenso em um mês, quase inexistente no outro e durar poucos ou incontáveis dias.

A menstruação irregular não é necessariamente algo ruim e não necessariamente reflete o estado de saúde ou de fertilidade. Muitas coisas podem afetar a menstruação, desde um simples estilo de vida até problemas mais amplos de saúde. Vale a pena consultar um ginecologista para ver se está tudo bem. Se não for um problema médico, é provável que alguma outra coisa esteja afetando os ciclos menstruais. Nós separamos alguns motivos simples que podem afetar a regularidade da menstruação:

ESTRESSE

O estresse pode fazer com que a menstruação fique irregular ou desapareça completamente. Quando o corpo encontra-se sob estresse por um longo período ele começa a conservar energia e previne a ovulação. Eventos traumáticos podem aumentar os níveis de adrenalina e cortisol, o que pode desregular a produção de estrogênio e outros hormônios reprodutivos. Quando os níveis de estrogênio caem o corpo não consegue criar um revestimento uterino apropriado, o que influencia diretamente a menstruação.

Isso acontece porque o corpo dá prioridade para as situações de emergência. A adrenalina e o cortisol são importantes em situações extremas, são eles que ajudam a correr, escalar, dão energia e regulam o batimento cardíaco. Conforto e fertilidade são importantes, mas secundários em situações extremas. Quando o corpo não possui material o suficiente (como os aminoácidos) para produzir os hormônios sexuais e os hormônios do estresse ao mesmo tempo, a prioridade é sempre para os hormônios do estresse, necessários para a sobrevivência.

Dica: Se a sua rotina é intensa e fica difícil evitar o estresse, tente encaixar algum exercício relaxante, como a yoga, por exemplo. Se entregue totalmente durante a prática. Estudos mostram que apenas meia hora de relaxamento por dia tem benefícios incríveis na redução do estresse.

MUDANÇAS DE ROTINA

Mudanças extremas de rotina podem desregular o ciclo menstrual. Atividades como viajar, mudar para um novo fuso horário, mudar o horário de trabalho, mudar de cidade ou qualquer outra atividade que mude drasticamente o estilo de vida podem influenciar a menstruação.

Dica: Durante períodos de mudança, separe momentos de relaxamento. Tente tornar as mudanças o menos bruscas possível, tente manter a mesma forma de alimentação, por exemplo, ou reproduzir hábitos da antiga rotina.

FUMO E ÁLCOOL

Um estudo australiano mostrou que mulheres fumantes tem 41% mais chance de experienciar cólicas intensas e 60% mais chance de apresentar problemas reprodutivos do que as não fumantes.

O uso abusivo do álcool também mostrou efeitos negativos nos ciclos menstruais. Além de contribuir para a irregularidade da menstruação, o álcool mostrou efeitos também sobre a fertilidade. “Mulheres alcoólatras são conhecidas por ter uma variedade de complicações menstruais e reprodutivas, desde ciclos menstruais irregulares até a completa ausência da menstruação, ausência de ovulação e infertilidade” diz o Instituto Nacional americano de Abuso do Álcool e Alcoolismo. A organização diz também que até mesmo quantidades moderadas de álcool podem afetar a menstruação, “a ingestão do álcool em momentos errados, mesmo em quantidades insuficientes para causar danos permanentes, pode alterar o delicado balanço dos ciclos menstruais femininos”.

Dica: Evite fumar e não consuma bebidas alcóolicas regularmente ou em grandes quantidades, principalmente se você estiver apresentando irregularidades na menstruação ou dificuldades para engravidar.

PESO

Estar acima ou abaixo do peso também pode impactar o ciclo menstrual. Isso ocorre porque o peso influencia na produção de estrogênio, hormônio responsável pela criação do revestimento uterino que será eliminado durante a menstruação. O excesso de peso pode causar uma produção excessiva de estrogênio, o que resulta em um revestimento uterino mais grosso e, consequentemente, em um fluxo menstrual surpreendentemente intenso. “Mulheres obesas podem experienciar ciclos menstruais intensos, infrequentes e longos”, diz a professora Veronica Lerner do Centro Médico da Universidade de Nova York.

Mulheres que estão abaixo do peso também podem experienciar irregularidades na menstruação, principalmente se a perda de peso aconteceu de forma repentina. O problema aqui é o oposto, o corpo produz muito pouco estrogênio, o que pode diminuir a frequência da ovulação, deixar a menstruação irregular e às vezes até fazê-la desaparecer totalmente. Manter um peso saudável também é um aspecto importante da fertilidade.

Dica: Fique de olho em alterações no funcionamento do seu corpo e nos seus ciclos menstruais. Se algo parecer estranho, verifique se por acaso você pode estar fora da faixa de peso considerada saudável.

MEDICAMENTOS

Parece óbvio que o uso de pílulas anticoncepcionais afete a menstruação, afinal muitas previnem a ovulação, que é o aspecto principal do ciclo menstrual. Mas alguns medicamentos que nada tem a ver com os órgãos reprodutivos também podem ter um efeito significativo sobre a menstruação. Antidepressivos, reguladores da pressão sanguínea e antialérgicos, por exemplo, podem chegar a eliminar a menstruação totalmente.

Dica: Se, durante o uso de um medicamento novo, você notar diminuição ou ausência da menstruação, converse com o seu médico e descubra se o problema pode ser relacionado à nova medicação.

EXERCÍCIO FÍSICO EM EXCESSO

Em geral, o exercício físico é muito bom para a saúde, mas em excesso pode causar uma condição conhecida como Amenorréia, que tem como sintoma a ausência da menstruação. Apesar de não menstruar parecer tentador, a Amenorréia pode representar riscos para a saúde. Ela ocorre quando o excesso de exercício causa uma diminuição nos níveis de estrogênio a ponto de eliminar os ciclos menstruais. Essa falta de estrogênio pode causar, por exemplo, osteoporose, uma condição que resulta na fragilidade dos ossos. Essa condição é mais comum em idosos, mas mulheres jovens que praticam exercício em excesso podem desenvolver ossos fracos, o que pode gerar fraturas e problemas permanentes de postura.

Uma pesquisa realizada pela Universidade de Michigan mostrou que correr e praticar ballet estão entre as atividades mais associadas com a Amenorréia. Mais de 66% das mulheres que praticam estes exercícios já tiveram Amenorréia em algum momento. E, assustadoramente, entre as mulheres fisiculturistas, 81% já experienciou Amenorréia.

Dica: Pratique exercícios físicos em moderação. Se o esporte que você pratica exige treinos mais intensos, tente intercalar os dias de treino. Fique de olho em alterações no seu ciclo menstrual.

Você tem ou já teve problemas com a menstruação irregular? Conhece mais alguma causa? Compartilhe a sua experiência com a gente!

DEIXE UM COMENTÁRIO